Ninguém liga.

É difícil assumir que as pessoas têm as próprias vidas e que, por isso, estão ocupadas demais para cuidar da sua. Não parece mesmo verdade, mas é. Não faz diferença se você foi o primeiro a pedir para voltar, ninguém dá a mínima para as suas reclamações sobre recalque alheio (inexistente) e ir sozinho ao cinema ou a um bom restaurante é irrelevante para qualquer um além de você. Ninguém está contando pontos porque, veja bem, ninguém liga. Get over yourself!

Aprenda a dizer não.

Você é jovem, descolado e feliz. Inevitável, portanto, que receba milhões de convites e que tenha uma vida social agitadíssima. Mesmo quando quer ficar em casa vendo Netflix e tomando sorvete. Mesmo quando só quer ir ao cinema sozinho e depois voltar direto para as suas cobertas. Agora, te desafio a responder: por quê? Por que nos sentimos forçados a sair num sábado à noite ou a ir ao happy hour da quinta-feira? Só porque todo mundo vai ou porque é uma noite de sábado? Quem está contado os pontos nesse The Sims para deixar a nossa barra de sociabilidade no vermelho? Please, just don’t. Você não vai perder o amigo por reclinar um convite, aliás, você pode até achar outro que, como você, queira passar a noite em casa cozinhando e falando da vida. Vai saber. Se não prejudica ninguém (nem você mesmo), diga não. Diga não à cantada, ao melhor amigo que é apaixonado por você, ao convite bem intencionado, ao favor inconveniente, à vendedora que quer te empurrar metade da loja.

Veja só, a palavra até soa bem: n-ã-o.

Se permita dizer sim.

Tão difícil quanto dizer não, é dizer sim. Mas, depois de aprender que ninguém liga (vide tópico acima), fica muito mais fácil, acredite. Vá à aula de dança sem saber dançar, cante no karaokê como quem canta no banheiro e aceite favores e gentilezas se te der vontade. Você merece, ué, por que não?

Apaixone-se.

Pelas cores que o Sol faz na sua janela, pelo frio, por seu casaco novo, pelo novo álbum da sua banda favorita, pelo seu bronze de praia, pelo Rio de Janeiro. Pelo sorriso do seu irmão, por seu namorado, pelo brechó perto da sua casa e pela torta da sua mãe. Por SaramagoMad Men, Frank Sinatra. Por seu trabalho, por viajar, por você mesmo. Sempre que der, apaixone-se.

Saia da sua zona de conforto.

Ao longo da vida, você aprende que é bom em várias coisas. E ruim em outras. Quanto a todas as coisas alheias aos dois extremos, você pode passar tempo demais sem saber se não experimentar. Seja um estranho no ninho sempre que puder.

Gentileza é universal ou não é gentileza.

Não confie na gentileza de pessoas que só são gentis com você. Ou com o chefe e os colegas de trabalho. Gentileza é sempre universal: cumprimentar o porteiro, agradecer a faxineira, ser atencioso com a mãe, ser educado com o garçom. É muito fácil ser gentil se há algum interesse sexual ou social envolvido. Difícil mesmo é ser gentil com quem é de casa ou com quem faz parte de uma classe socioeconômica inferior a sua. Preste bem atenção, isso diz mais sobre o caráter de alguém do que você imagina.

Faça sem estar pronto.

Uma coisa dificilmente vai mudar: você não vai se sentir pronto. Vai ficar nervoso, ter medo, achar que há alguém melhor do que você para isso. A vida é assim, entenda. O obstáculo é se jogar mesmo sem estar pronto e então se tornar o melhor que poderia ser. Tenha coragem! O não-pronto pode ser lapidado, adaptado, pode superar qualquer modelo.

Aprendi isso na marra, sim, e ainda bem.

Diga-me com quem andas que te direi quem és.

Não é um, não são dois e não são 30 os sociólogos que dizem que você é a média das cinco pessoas com quem mais convive. Os seus pais e, depois, os seus amigos influenciam seus hábitos, gostos e o seu modo de encarar a vida. E você, é claro, influencia todos eles de volta. Por isso, faça questão de se cercar das melhores pessoas possíveis e de ser o melhor que você pode ser, por você e por elas também.

Para sempre até que acabe.

Amores, desavenças, brigas, namoros, amizades, tudo é passageiro. Seja por causas dramáticas como uma morte (toc toc toc, bate na madeira) ou porque as pessoas mudam. Você muda. Não é porque o seu relacionamento de 5 anos/meses/dias acabou que não deu certo. Cara, deu certo por 5 anos/meses/dias, mas acabou! Não é porque sua melhor amiga começou a namorar e desapareceu que não era sua amiga antes: ela mudou, você mudou. Que seja eterno enquanto for bom para você. Se não for possível, que seja eterno enquanto dure. Next!

Melhor pedir desculpa do que permissão.

Ideias parecem impossíveis até serem feitas, erros parecem maiores quando planejados e impulsos podem ser loucos antes de seguidos. Na dúvida, confie em seus instintos e faça. Ouvi dizer que mais vale se arrepender pelo que fez do que pelo que nem tentou…

Sentir não quer dizer ser fraco.

Sim, esse tópico merece um post inteiro. Ainda assim, não poderia deixar de aparecer aqui.

Sentimentos não são fraquezas. NÃO. SÃO. FRAQUEZAS. Pior que ser sentimental é se fechar numa redoma por medo. Juro por todos os santos e orixás que demorei tempo demais para assumir isso. Não faça como eu, por favor.

Para desarmar alguém, pergunte.

Antes de levantar a voz, pergunte:

“Por que você está usando esse tom?”

“Por que você parece estar brigando?”

Se quiser evitar um arranca rabo ou até aquelas tão irritantes indiretas, pergunte. Funciona, confie em mim.

Cuidado com o que fala com raiva.

Na hora da explosão, acabamos falando demais e vomitando, inclusive, coisas que nem condizem com o que acreditamos. Verdade universal. Sabendo disso, controle-se e filtre o que vai dizer, mesmo irritado. Afinal, você certamente irá esquecer… A outra pessoa, não. Não perca alguém por uma ofensa estúpida.

Não adianta ter sorte se você não sabe o que quer.

Ou, em provérbio popular, nenhum vento sopra a favor de quem não sabe pra onde ir.

Cultive as suas amizades.

Ligue para os seus amigos, saia, pergunte sobre suas vidas, mantenha contato. Cuide das suas amizades. Não é porque você “garantiu” essa pessoa em sua vida há dez anos que ela será sua amiga para sempre. Intimidade é essencial, mas só se mantém com certo esforço.

Primeiro você. Sempre.

Sabe quando, no avião, a aeromoça deixa claro que, antes de ajudar alguém, você deve colocar a sua própria máscara de oxigênio? Pois bem, isso funciona para quase tudo na vida. Cuide de você, dos seus sonhos e objetivos. Seja feliz sozinho. Aprenda a se amar. Altruísmo parte do amor próprio, parte do pressuposto de que você está tão bem que pode repassar isso ao outro. Ninguém é responsável pelos seus erros e nem deve ser pela sua felicidade. Felicidade transborda.

Curta a fossa.

Ou a raiva. Terminou um namoro há dois meses e não consegue se distrair mesmo com as farras diárias sempre bem documentadas no instagram ? Talvez tudo o que você precise seja curtir a boa e velha fossa. Sim, está permitido passar um fim comendo chocolate e ouvindo uma trilha sonora deprê enquanto apaga ou rasga cada foto de vocês. Está virada com o mundo porque algo deu errado? Chore as pitangas com um amigo ou arranje aulas de luta para fazer! A idéia é simples: mergulhe no que você sente, mas sem afundar. Para isso, estabeleça um prazo: 3, 5, 10 dias de fossa profunda e depois nunca mais. É uma promessa. Cumpra.

Peça o que você quer.

“O “não” você já tem.”
“Você não perde nada perguntando.”
“Vai que…”

Todo clichê existe por um motivo, acredite. Sobre a arte de pedir: assista a esse TED incrível com a ainda mais incrível Amanda Palmer.

Não guarde mágoa.

Encare de frente. Deixar para lá só funciona se, bem, você realmente conseguir deixar para lá. Se não falar nada implicar em dias de mágoa remoída, faça um favor a você mesmo e reclame, pergunte, termine o assunto.

Escreva o que sente.

Descobri que a melhor maneira de entender os meus próprios sentimentos é escrevendo. Pode até ser um atalho pessoal, mas sugiro que tente. Não tem certeza sobre a sua posição sobre determinado assunto? Escreva. Jura que perdoou o erro de alguém, mas precisa se policiar eternamente para não tocar no assunto a cada novo mal entendido? Simule uma carta. Deixe que as palavras fluam e te guiem nessa expedição pelas suas próprias sensações e gostos.

Aposte nos 20 segundos de coragem.

Foi um filme infantil que me ensinou o bordão regente da minha vida:

“Às vezes tudo que precisamos é de 20 segundos de uma coragem insana. Literalmente, 20 segundos de bravura destemida e, eu prometo, algo maravilhoso virá disso.” 

Arrisque! Se nada der certo, você terá uma boa história para contar.

Demonstre interesse.

Você faz mais amigos em dois meses se interessando pelas pessoas do que em dois anos tentando fazer com que se interessem por você, segundo Dale Carnegie. Para entender melhor, leia esse livro!

100% de efetividade garantida.

Vá pelas escadas.

Há um tempo atrás, decidi fazer a tal dieta Dukan, a dieta da proteína moderna. Um dos seus mandamentos era subir escadas todos os dias. Subir escadas por 5 minutos consome 100 calorias, o dobro de gasto calórico do que boa parte dos outros exercícios. Tudo de graça! E nem adianta lançar a desculpa de que anda sempre atrasado. Trocar a escada rolante pela tradicional, por exemplo, acrescenta de um a dois minutos ao seu tempo normal. Sim, eu já contei. Abandonei a dieta, confesso, mas essa máxima aconselho todo mundo a acatar.

 http://vidaexpressa.com/20-coisas-que-aprendi-em-20-anos/

fazmalprocoracao:

Cedo pra parar, tarde pra desistir (8) Ehh caindo q se aprende a levantar neh? Entaao to pronta pra outra :) #superando #força

Não entendo o que  me fez chegar a esse ponto. Só sei que estou sem forças.